Aviação Civil

A aviação no futuro: Propulsão, velocidade e Automação

Como as viagens aéreas podem parecer daqui a 50 anos?

Se os viajantes do tempo de 1968 chegassem a 2018, experienciariam mudanças surpreendentes. Mas ainda familiarizariam com os modelos atuais. Embora tenha havido grandes melhorias em materiais, motores e aviônicos, tornando 2017 o ano mais seguro na história da aviação, as aeronaves comerciais permanecem estruturalmente semelhantes às da década de 1960.  Mas e se nós atualmente viajássemos á 50 anos no futuro?

1476460782-screen-shot-2016-10-14-at-115940-am_free_big

Supersônico Boom previsto para 2020, poderá atingir uma velocidade de até 2,2 Mach (Foto: Divulgação)

Propulsão 

A maioria dos vôos de curto alcance provavelmente serão elétricos nas próximas décadas e isso irá transformar a maneira como pensamos em viagens aéreas, com tecnologia muito mais limpa e menos ruído, motores elétricos mais pequenos permitirão propulsão distribuída, como a encontrada no protótipo X-57 da NASA. Com isso, as aeronaves poderão operar muito mais próximo de onde as pessoas vivem e trabalham.

Velocidade

Tivemos um retrocesso ao longo dos anos no quesito velocidade na aviação, hoje em dia mesmo os que tem mais dinheiro no bolso viajam em aviões com velocidades subsônicas. Mas algumas empresas startups já estão trabalhando nisso. A Boom Supersonic, por exemplo, desenvolve um equipamento que voa a velocidades de 2,2 Mach com custos menores do que os do Concorde. Sendo previsto o seu lançamento em 2020.

Um outro exemplo, a empresa Aerion AS2 pretende lançar no mercado executivo, uma aeronave capaz de voar no mach 1,5, e já possui uma ordem de US $ 2,4 bilhões.

Mas uma outra empresa mais ambiciosa, a Spaceliner, estuda lançar uma aeronave capaz de viajar 25 vezes mais rápido que a velocidade do som. Isso na prática, resultaria em uma viagem por exemplo de Londres para a Austrália, em cerda de 90 minutos.

“Muitas vezes, no setor aeroespacial, o desafio não é tecnológico, mas financeiro ou operacional”, diz Rolf Henke, membro do conselho executivo da pesquisa aeronáutica da DLR, Instituto Alemão, Spaceliner.

Automação

Apesar dos avanços tecnológicos, terá um aumento grande da demanda de pilotos. Nos próximos 20 anos prevê uma necessidade de até 600 mil deles contra os 200 mil atuais.

Especialistas apostam que as aeronaves do futuro irão requerer apenas “pilotos de segurança”, presentes nos voos somente para episódios inesperados.

Fonte: CNN Travel.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s