Aviação Civil

Lucro do Grupo Emirates tem queda de 44% e atinge US$ 631 milhões

Grupo registra 31º ano consecutivo de lucro.

Nesta quinta-feira, 09, o Grupo Emirates divulgou os resultados financeiros do ano fiscal 2018-2019. O conglomerado com sede em Dubai, registrou lucro pelo 31º ano consecutivo.

O Grupo Emirates obteve lucro de US$ 631 milhões no ano fiscal encerrado em 31 de março de 2019, uma queda de 44% em relação ao ano passado. A receita do grupo alcançou US$ 29,8 bilhões, alta de 7% em relação ao ano passado.

Dubai DXB Emirates

O saldo em caixa do Grupo foi US$ 6 bilhões, uma queda de 13% em relação ao ano anterior, principalmente devido a grandes investimentos no negócio, incluindo aquisições significativas e pagamento do dividendo de US$ 545 milhões do ano passado. Em linha com o lucro total, o Grupo declarou um dividendo de US$ 136 milhões para a Investment Corporation of Dubai para 2018-2019.

“Os preços mais altos do petróleo e a alta do dólar norte-americano corroeram nossos ganhos, mesmo quando a concorrência se intensificou em nossos principais mercados. O aumento na demanda global de carga aérea do ano anterior parece ter entrado em marcha à ré, e também vimos a demanda de viagens enfraquecer, particularmente em nossa região, impactando tanto a dnata quanto a Emirates”, disse o Sheikh Ahmed bin Saeed Al Maktoumo, Presidente e Diretor Executivo da Emirates Airline e do Grupo Emirates.

Airbus A380 Emirates Londres LHR

Em 2018-2019, o Grupo investiu US$ 3,9 bilhões em novas aeronaves e equipamentos, na aquisição de empresas, instalações modernas, nas mais recentes tecnologias e iniciativas de pessoal, um aumento significativo em relação ao investimento do ano passado de US$ 2,5 bilhões.

Emirates Airline

A companhia aérea, Emirates, registrou lucro de US$ 237 milhões, queda de 69% quando comparado ao ano anterior. A receita aumentou em 6%, para US$ 26,7 bilhões, apoiada pelo desempenho estável de passageiros e carga e da capacidade.

Os custos operacionais totais aumentaram 8% durante o exercício anual 2018-2019. A despesa com combustível da companhia aumentou 25% em relação ao ano passado, para US$ 8,4 bilhões. Esta é a maior despesa com combustível da história da companhia aérea, respondendo por 32% dos custos operacionais, comparado a 28% em 2017-2018.

Durante o período fiscal, a Emirates transportou 58,6 milhões de passageiros, alta de 0,2%. A demanda teve aumento de 4%, a taxa de ocupação foi de 76,8%, queda de 0,7 pontos percentuais em comparação com o 77,5% do ano passado.

IMG_3310

Em fevereiro, a Emirates anunciou um compromisso para a compra de 40 A330-900 e 30 A350-900 estimado em US$ 21,4 bilhões, que serão entregues a partir de 2021 e 2024, respectivamente. A transportadora aérea também receberá mais 14 A380 a partir de 2019 até o final de 2021, levando o total de A380 para 123 unidades.

A Emirates recebeu 13 novas aeronaves durante o exercício, sendo sete A380 e seis Boeing 777-300ER, incluindo o último 777-300ER em sua carteira de pedidos. A próxima entrega do 777 está prevista para 2020, quando a Emirates recebe sua primeira aeronave777X.

Durante o período fiscal 2018-2019, a Emirates retirou de serviço 11 aviões mais antigos, totalizando 270 aeronaves na frota até o fim do mês março.

dnata

A prestadora de serviços aeroportuários, dnata, registrou lucro recorde de US$ 394 milhões, a receita cresceu 10% para US$ 3,9 bilhões, refletindo a expansão dos negócios internacionais, que represetam agora 70% da receita da empresa.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s