Aviação Civil

Conhecendo a Lufthansa Technik Hamburg

O Ponte Aérea esteve na Lufthansa Technik em Hamburgo.

Texto por Lucas Ulhôa e Paulo Henrique.
Fotos divulgação Lufthansa, Lucas Ulhôa e Paulo Henrique.

Para começar este artigo, a melhor maneira é contar um pouco sobre a Lufthansa e Hamburgo. A cidade, no norte da Alemanha, tem a presença forte na parte náutica e aeronáutica. É um dos maiores polos aeronáuticos, considerando área e quantidade de funcionários de manutenção (Lufthansa Technik) e de produção e montagem (fábrica da Airbus).

A Lufthansa foi fundada ainda nos anos 20 após a Primeira Guerra Mundial. A companhia alemã tinha como sua principal base Berlim, porém após o fim da Segunda Guerra, foi forçada a mudar suas operações, principalmente para Hamburgo. Na cidade, no norte da Alemanha, a Lufthansa constituiu sua base, com escritórios, centro de manutenção e o terminal de embarque. Décadas mais tarde, por limitações para ampliar seus serviços aéreos, a Lufthansa decidiu mudar seu Hub principal para Frankfurt.

A Lufthansa Basis Hamburg Technik atende diversas demandas de manutenção e revisão de aeronaves da família A320 das companhias aéreas do Grupo Lufthansa, aeronaves governamentais, alteração de cabines para VIP e também revisão de motores. Atualmente possui uma gigante estrutura, na qual trabalham mais de 10 mil funcionários, sendo 8 mil somente na Lufthansa Technik e outros 2 mil em outras áreas do Grupo.

Nossa visita começou pelo prédio utilizado para testes de motores, com total isolamento acústico. Em Hamburgo, a Lufthansa realiza a revisão total (check) dos motores CFM56 (Boeing 737, Airbus A32F) , IAE V2500 (Airbus A32F) e o mais recente, dos LEAP, presentes nos Boeing 737 MAX e Airbus A320neo. Nesta seção, após a revisão em outro complexo, os motores seguem para esta câmara, na qual podem aplicar da potência mínima para máxima e verificar o seu desempenho.

O primeiro hangar que visitamos, na qual foi o primeiro em Hamburgo, pode ser utilizado até para o Airbus A380 por meio de uma adaptação (extensão) feita posteriormente, a Lufthansa Technik utiliza para conversão de cabines VIPs e outros projetos de modificação. Por meio de óculos de realidade aumentada, os engenheiros da Lufthansa conseguem planejar a modificação interna. O último projeto desenvolvido, foi para a conversão de cabine do Airbus A350XWB para VIP. A maior aeronave que a Lufthansa Technik recebeu para modificação foi um Boeing 747-8.

Nossa visita continuou no complexo de inspeção dos motores. A unidade da Lufthansa Technik em Hamburgo tem a capacidade para a revisão completa para 300 motores anuais. Com essa incrível capacidade, é possível entregar quase 1 motor revisado por dia. Os motores seguem em um caminho definido, aonde os mecânicos fazem um trabalho semelhante com uma produção industrial fordista. A cada estágio, determinados funcionários executam as mesmas tarefas. Após a retirada de todas as peças, são limpas totalmente com líquido penetrante em câmaras especiais e verificadas com luz negra, para detectar se existe alguma trinca. Também são utilizadas técnicas com ultrassom e fluxo magnético com partículas (MPI).

A visita seguiu para os dois últimos hangares, na qual pudemos observar o último Boeing 737-500 operado pela Lufthansa. A cerca de dois anos, o D-ABIA foi entregue para a Lufthansa Technik e é utilizado exclusivamente para treinamento dos mecânicos. Apesar de ter voado comercialmente pela última vez em 2015, o jato possui condições de voo. Sua cabine de passageiros e cockpit, estão impecáveis.

“Luzes no teto e no piso indicarão o caminho para as saídas de emergência”. Esta frase, à qual estamos tão acostumados a ouvir antes da decolagem, deixa passar despercebido algo bem interessante! As faixas luminescentes do piso do avião, na sua configuração atual (não elétricas) são criações da Lufthansa Technik! Nos anos 90, para não depender de energia elétrica e reduzir o peso, a Lufthansa as desenvolveu com material fotoluminescente. Hoje esta forma de iluminação de emergência no piso está presentes na grande maioria dos aviões comerciais modernos!

Em seguida, um privilégio: Nos foi aberto o “minimuseu” para a nossa surpresa, localizado no mesmo hangar. Nele encontramos diversos artigos históricos da Lufthansa, peças, maquetes com estudo de pintura nunca aplicadas na frota, e também um incrível simulador de vôo antigo. Ele foi utilizado pela Lufthansa para treinamento dos pilotos no Boeing 707 no início das suas operações, apesar do mesmo utilizar o layout do painel de um bombardeiro B-25J Mitchell (já usado pela FAB)! Palhetas de motores de alguns jatos utilizados pela Lufthansa também figuravam no minimuseu.

 

A visita terminou visitando o maior hangar do complexo. Nele estavam em manutenção no momento o Airbus A340-300 e o Airbus A319, ambos da Luftwaffe que servem o líder de governo da Alemanha (Primeiro-Ministro). O hangar já foi palco de receber também o Boeing 747 Sofia, utilizado pela NASA em parceria com German Aerospace Center. Um diferencial deste hangar, é o isolamento acústico presente nos portões, na qual pode ser feito giro de motor em baixa potência dentro do próprio hangar, emitindo pouco ruído do lado de fora.

Nossos especiais agradecimentos à Pia Lüdtke e Thomas Erich, que nos receberam muito bem e apresentaram cada detalhe da Lufthansa Technik Hamburgo durante horas!

Anúncios

1 resposta »

  1. Muito legal o artigo! Eu trabalho na Lufthansa Technik em Hamburgo e conheço a Pia e o Thomas! Se ainda estiverem por aqui seria um prazer conhecer a equipe da ponte aérea!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s