Ponte Aérea

Onde a notícia voa

Governo corta mais uma vez auxílio previsto às companhias aéreas

Projeto ministerial inicial de empréstimo via BNDES chegou a ser 10 bilhões em março, passou para 6 bilhões diante de impasse com a LATAM, e agora serão apenas 4 bilhões de reais, menos de 1 bilhão de dólares.

O valor deve ser dividido por apenas duas empresas, que coincidentemente possuem capital aberto e negociarão a diluição de suas ações com os bancos.

Segundo fontes ouvidas pela Reuters no Brasil, O BNDES fornecerá até 60% do valor e os bancos privados contribuirão com cerca de 10%. Gol e a Azul devem receber 2 bilhões de reais cada.

Ainda não está claro se um acordo será alcançado com a Latam Airlines, que teve seu auxílio atrelado a estar em uma listagem (B3) que a garanta ser uma empresa também brasileira.

O pacote de ajuda será feito por meio da emissão de bônus de 5 anos que terão um período de carência de um ano para o pagamento de juros, bem como de instrumentos que podem ser convertidos em ações.

Permanecemos na espera de novas informações e, assim que disponíveis, atualizaremos esta matéria.